Em Meio À Beleza Aberta

Em meio à beleza aberta
Sinto-me um ponto
Tudo é vasto, é maior
Tudo é lindo, extasiante
Vento amarelo

Agora vejo, agora encaro
A terra não é nosso brinquedinho
Ah, ignorante ser humano
Medíocre mas prepotente
Era preciso mais sensibilidade
Mais amor
Mais compaixão
Mais vida
Mais verdade.

User Rating: 5 / 5 ( 0 votes )

Other poems of GONÇALVES (55)

Comments (0)

There is no comment submitted by members.