Ao Mirar O Sol

Poem By Priscila Gonçalves

Doors under way are left unopened,
shattered secrets left unspoken.

Windows closed and shut so tight,
trying to find the hopeful light.

Angels may be among the believing,
But what about the young and deceiving.

Forgotten ones distant longed,
finding the way to where they belong.

People say they listen,
but people have no ear,

They won’t hear my problems,
because they have no idea.

Them who don’t shed any tears,
is because they live without fear.

Having a daddy to hold you,
how about the ones that are never there for you.

Comments about Ao Mirar O Sol

Well deserving a ten, excellent ink job, Paige, My praise extends to you..
Enlightening. I feel for you if this is from experience, and am still impressed if it is not. Your words are electric. Effie. xx


Rating Card

5 out of 5
0 total ratings

Other poems of GONÇALVES

My Boy

Já ouço trombones
Sei que ele esta chegando
É meu garoto, my boy
Gosto tanto dele...

Ta Doendo!

Ta doendo! Ta doendo!
Me tire daqui, por favor!
To com frio, to com fome,
Com dor, com dor.

Antes De Chutar

Antes de chutar a fala encarecida do garotinho
Antes de rir atrás dos lábios ao ver o velho deitado no chão
Antes de se enfurecer com o jovem duro, mas pedinte
Antes de caçoar da vida embaixo do viaduto por onde passas

Luto, Reluto

Luto, reluto, bato o pé no chão
Amarguro, escureço
Seguro. Nem sei porque.

Minhas Simples Palavras

Minhas palavras imaturas dançam em sua direção a tentar de brincadeira saciar sua vontade
Produzir de forma natural e brusca seu sorriso mais solto e involuntário
Seu riso, sua alegria
O que dá combustível e vitalidade aos meus versos e verbos brincalhões

Meio

Meio estranho...
Meio novo...
Este meio-sentimento
No meio do caminho

Maya Angelou

Phenomenal Woman