Plagiarism Of Love

Poem By Sirlanio Jorge Dias Gomes

Andam por aí dizendo que amam,
Como se amar fosse embriagar-se,
Dizendo tolices ao primeiro delírio.
De tanto amar,
O amor tornou-se tolo,
Nos corações infestos,
Repletos de monólogos,
Vazios em si ao primeiro gozo.
Há amores de todos os tipos,
Cada qual a necessidade do seu intérprete,
Marionetes do corpo em desalinho,
A moldar emoções estranhas,
Cumplicidade de momentos,
Feito nuvens num dia de chuva,
Que o vento leva aonde desejar.
Muitos amores se tornaram órfãos,
Se tornaram túmulos,
Muros intransponíveis,
De uma tristeza sem fim,
De nomes infinitos,
Corações esquizofrênicos.

Comments about Plagiarism Of Love

There is no comment submitted by members.


Rating Card

5 out of 5
0 total ratings

Other poems of JORGE DIAS GOMES

Kiss

I kiss the love on your lips,
Heavens wings of desire,
Occluso look confident,
Body in delusions,

I

I,
Parallel universe,
In his creations,
Of introversa creatura,

Sunset

Browsing the pages of memory,
Still a boy in his mischief,
I remember the simplicity of the old days,
From the lamp and the wood stove,

Poetry Is...

Poetry is...
The deepest perception of self,
Bridges of emotions building verses,
Doors that open to infinity,

Intentions

A little of everything,
In the details of me,
Translation of thoughts,
This whirlwind of arrows,

Sem Fronteiras

Corpos fustigados,
Em suas cores assombrados,
Multilados em suas dores,
Em discursos abstratos,

Robert Frost

Stopping By Woods On A Snowy Evening